Skip Navigation Links





















BENFEITORA DA ORDEM
por meio do Ato n° 14596, de 28 de JULHO de 2011, concedido pelo Soberano Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil.
Motivo de júbilo tamanha deferência à Loja e a todos os Ir.’. que fortalecem as colunas do Rito Brasileiro por todo o nosso grande País.

.













Visitas ao site: 



Bem-vindo à A.'.R.'.B.'.L.'.S.'. Guatimozim nº 2107

Sessões: 2ª e 4ª Quartas-feiras,
às 20h

A loja Maçônica Guatimozim foi fundada de fato e de direito no dia 7 de junho de 1981. É Federada ao Grande Oriente do Brasil e Jurisdicionada ao Grande Oriente do Distrito Federal. A Loja é primaz do Rito Brasileiro no Distrito Federal e foi agraciada com o título de BENFEITORA DA ORDEM.


 


Histórico e fundação da Loja João Rosário Dória nº 2533
14/07/2016 - 12h04
 
 











A ARLS João Rosário Dória nº 2533, federada ao Grande Oriente do Brasil e  jurisdicionada ao Grande Oriente do Distrito Federal, foi fundada em 14 de julho de 1989, recebendo do G.’.O.’.B.’., o número 2.533. Seu primeiro Venerável foi o insigne e saudoso Maçom, o Sapientíssimo IrIvaldo de Melo Medeiros, detentor da Comenda Dom Pedro I.
HISTÓRICO
A fundação da Loja Maçônica João Rosário Dória nos é contada neste belo texto do Sapientíssimo Ir.’.Ivaldo de Melo Medeiros:
A crônica da fundação da Augusta e Respeitável Loja Simbólica João Rosário Dória poderia ter início no dia 17 de junho de 1989, data comemorativa da fundação do Grande Oriente do Brasil, em 1922.
Em 1989 passava o Centenário da República Brasileira, o Bicentenário da Queda da Bastilha e os 75 anos do Rito Brasileiro, considerando-se a sua certidão de nascimento o Decreto nº 500, de 23 de dezembro de 1914, baixado pelo Soberano Grão-Mestre Geral Lauro Sodré.
Na noite de 17 de junho, um fraterno coquetel tinha lugar na sede do Poder Central, limitada à época aquele prédio cor-de-rosa, onde hoje, existe o Auditório Álvaro Palmeira. Naquele saguão que dá acesso ao auditório, reuniam-se alguns Irmãos, com a presença do Grão-Mestre Geral Jair Assis Ribeiro e do Grande Primaz do Supremo Conclave do Brasil, Soberano Ir.’. Nei Inocêncio dos Santos.
Em determinado momento, o Eminente Irmão Clóvis Gomes de Albuquerque, Grande Secretário-Geral de Administração, comunicou ao Irmão Ivaldo de Melo Medeiros, 1º Vigilante da Loja Pioneiros do Progresso, a intenção que tinham vários Irmãos da Administração do G.’.O.’.B.’., de fundarem  uma Loja do Rito Brasileiro, com o nome de João Rosário Dória, Grande Dignidade da Ordem, falecido dois anos antes, quando ocupava o cargo de Grande Secretário-Geral da Guarda dos Selos. Discutia-se apenas a data de fundação e foi sugerido o dia 22 de julho, aniversário da morte do Irmão Dória, o que ficou mais ou menos aceito por consenso, pois já outros Irmãos participavam da conversa, principalmente o Irmão Carlos José Veríssimo, então Grande Secretário-Geral da Guarda dos Selos.
O Irmão Ivaldo foi procurado porque estava em certa evidência: deixara havia um mês o cargo de Venerável Mestre da Loja Pioneiros do Progresso, mas, antes, em dezembro de 1988, solicitara, por prancha, ao Grão-Mestre Geral, Jair Assis Ribeiro, que o G.’.O.’.B.’.,  comemorasse, no ano seguinte, os 75 anos de fundação do Rito Brasileiro. Em resposta ao pedido, formulado em 09/12/1988, o Soberano Grão-Mestre dirigiu Pr.’. ao Venerável, em data de 10/01/1989, fato noticiado no Boletim do G.’.O.’.B.’.,  nº 03/04, de 17/02/1989, através de uma Nota intitulada "Os 75 Anos de Fundação do Rito Brasileiro", da qual destacamos o seguinte excerto: "O nosso Soberano Grão-Mestre, coerente com os princípios que regem o Simbolismo e o Filosofismo, jurisdições distintas, em prancha de 10 de janeiro do corrente ano, após congratular-se com a Loja Pioneiros do Progresso e, em geral, com o Rito Brasileiro, disse: Não sendo possível ao GOB,  adotar a iniciativa das cerimônias, pela pluralidade de Ritos que os seus membros adotam, embora se trate do único Rito fundado pela nossa Instituição, é-lhe indiscutivelmente facultado e até devido emprestar sua solidariedade ao movimento, razão porque oferecemos, desde já, à Comissão que se encarregará das solenidades, o nosso apoio prazeroso.
É fato histórico e de grande magnitude para todos do Grande Oriente do Brasil e de todos os Ritos coirmãos.
Desejamos aos Dirigentes do Rito Brasileiro - finaliza a Nota - e em especial à Augusta e Respeitável Loja Pioneiros do Progresso, de muito sucesso neste ano comemorativo de criação do Rito Verde¬ Amarelo".
Desta forma, a comunicação de que uma Loja do Rito Brasileiro seria fundada pela Administração do Grande Oriente soou nos ouvidos brasilistas como cumprimento da promessa formulada pelo Soberano Grão¬ Mestre Geral. Logo a notícia foi passada para o Soberano Irmão Nei, presente ao coquetel, com o convite de que ele também assinasse, no devido tempo, a ata de fundação.
Tiveram início os contatos, as tratativas, os planos para a fundação da Loja entre os Irmãos da Administração do G.’.O.’.B.’.,  e os do Rito Brasileiro, culminando com o convite ao Irmão Ivaldo que assumisse a Venerança interina da Oficina, isto é, no período de Loja Provisória, e por um só motivo: nenhum do demais fundadores conhecia o Rito Brasileiro. O Irmão Ivaldo foi incentivado a convidar outros Irmãos, a seu arbítrio, para ajudá-lo na Administração e a ritualística da nova Loja. Foi assim que vieram os seguintes Irmãos brasilistas: José Reinaldo de Melo, Venerável Mestre da Loja Pioneiros do Progresso, sucessor do Irmão Ivaldo; José Américo de Oliveira Mendes, Venerável da Guatimozim; Júlio César Ribeiro, Venerável da Pioneiros de Brasília; José Robson Gouveia Freire e Marco Antonio Braga, Mestres Instalados da Loja Pioneiros do Progresso e José Valder Falcão, da Guatimozim.
Segundo o testemunho de Carlos Veríssimo dos Santos, então Secretário-Geral da Guarda dos Selos, a idéia original da fundação da '"oja João Rosário Dória, homenageando um Maçom notável e que falecera dois anos antes, quando exercia o mesmo cargo -Secretário-Geral da Guarda dos Selos- e ao mesmo tempo prestigiando o Rito Brasileiro, essa ideia partiu do Irmão Joferlino Miranda Pontes (também no Oriente Eterno) e que à época, ocupava o cargo de Membro do Ilustre Conselho Federal da Ordem. Em nossa Oficina, O Irmão Joferlino foi o primeiro Venerável depois da Loja regularizada, e durante o seu mandato foi eleito Grão-Mestre Geral Adjunto, cargo que ocupou até a sua morte, em 12 de junho de 2000.
Os entendimentos se sucediam, principalmente entre os Irmãos Carlos Veríssimo, Joferlino, Clóvis, Guilherme Fagundes de Oliveira, e outros, até que enfim decidiu-se que a fundação seria no dia 14 de julho, data da tomada da Bastilha. O Irmão Ivaldo foi informado da data definitiva e convidado a presidir a Loja. Com a antecipação, o Soberano Irmão Nei deixou de assinar a Ata, impossibilitado de estar em Brasília. Posteriormente, foi-lhe conferido o título de Membro Honorário.
O Ato de fundação ocorreu na sala do Conselho Federal da Ordem, hoje utilizada pela Academia Maçônica de Letras do Distrito Federal e localizada no prédio cor-de-rosa que fica atrás do Palácio Maçônico. O qual não existia em 1989. Toda a alta administração do G.’.O.’.B.’., se concentrava naquele prédio, sendo que defronte da sala do Conselho, do outro lado do saguão, onde é hoje o auditório Álvaro Palmeira, ficava o Templo Nobre do G.’.O.’.B.’.,  onde a nossa Loja realizou sua sessões litúrgicas nos primeiros meses de existência.
A reunião de fundação teve início às 10h30 do dia 14 de julho, com a presença de 39 Irmãos, inclusive o Grão-Mestre Geral, Irmão Jair Assis Ribeiro; o Grão-Mestre Geral Ajunto, Irmão Moacir Salles, além de todos os Grandes Secretários Gerais do GOB e muitos outros dignitários da Ordem e dos Três Veneráveis do Rito Brasileiro: José Américo, José Reinaldo e Júlio César.
Os trabalhos foram abertos pelo Irmão Clóvis Gomes de Albuquerque e o Irmão Carlos Veríssimo usou da palavra para explicar  os motivos da reunião, a homenagem que prestava a João Rosário Dória, "figura insigne de Maçom", a celebração do bicentenário da Revolução Francesa e a oportunidade, naquele dia, de estar em Brasília o Grão-Mestre Geral, que residia em Goiânia. Relatou ainda o Irmão Carlos Veríssimo que, por sugestão do Irmão Fagundes de Oliveira, foi convidado a presidir a Loja, como Venerável Interino, o Irmão Ivaldo, nome aprovado unanimemente pela Assembléia e imediatamente empossado. Por indicação do Venerável Interino, foram aprovados os seguintes Irmãos para comporem a primeira administração: 1° Vigilante - Walter Stecker de Oliveira; 2º Vigilante - Marco Antonio Wolovikis Braga; Orador - Elias Vieira Almado; Secretário - José Prudêncio Pinto de Sá; Tesoureiro - José Robson Gouveia Freire (que emitiu o recibo nº 01 ao Eminente Ir Fagundes de Oliveira); Chanceler - José Valder Falcão; Cobridor - Lamartine Ribeiro Guimarães; 1° Diác.’.  - Carlos da Costa Lima; 2º Diac.’. - Júlio César Ribeiro; Hosp.’. - José Reinaldo de Melo.
Estabeleceu-se a sexta-feira para as Sessões da Loja, no horário das 19 horas, no Templo Nobre do G.’.O.’.B.’.. O Irmão Fagundes foi encarregado de preparar o desenho do estandarte do timbre da Loja, missão que desempenhou de maneira brilhante.
Fundada a nossa Loja e terminada reunião por volta das 12 horas, partimos em caravana para um almoço comemorativo que teve lugar no restaurante Roma, na 711 da W-3 sul.
 AUTORIZAÇÃO
Pusemos mãos à obra, isto é, tratando dos papéis, timbre, desenho do estandarte, relação de obreiros, interpretação dos desenhos e, por fim, solicitamos autorização do Grande Oriente do Distrito Federal para funcionar. No dia 27 de outubro o GODF fez editar o Ato nº 029, autorizando o funcionamento provisório. Assinaram o Grão-Mestre “pro-tempore” Orlandino Alves de Araújo, o Secretário de Administração, Cláudio Iporã Ramidoff e o da Guarda de Selos, Juvêncio Cirilo Neto.
Continuamos os trabalhos burocráticos, realizávamos sessões litúrgicas no Templo Nobre do G.’.O.’.B.’.. Em 10 de novembro, o Grão-Mestre Geral, Jair Assis Ribeiro, pelo Ato de nº 727, deferiu o pedido de Regularização e concedeu a Carta Constitutiva nº 2533. Vale lembrar que esse número foi escolhido por alguns Irmãos para lembrar o dia de Natal Cristão e a idade de Jesus na Crucificação. O Grande Secretário-Geral da Guarda dos Selos, Carlos Veríssimo, reservou esse número, exatamente quatro meses, a espera do processo da Loja João Rosário Dória.
Finalmente, no dia 16 de novembro de 1989, realizou-se a cerimônia da Regularização da Loja, presidida pelo Irmão Manoel Agostinho, designado pelo Grão-Mestre do G.’.O.’.D.’.F.’.. Entretanto, o Irmão Agostinho, por não se julgar preparado para o ato, já que fora surpreendido com a designação, pediu para ser substituído; a missão, então, foi cumprida pelo Irmão Ylton Silveira Nascimento. Presentes o Grão¬ Mestre Geral, Jair Assis Ribeiro, o seu Adjunto, Moacyr Salles e outros dignitários. O Venerável interino abriu a Sessão e passou o malhete, á entrada do Templo, ao Irmão Ylton. O Irmão Clóvis pronunciou emocionado o discurso sobre o Patrono da Loja, Irmão Dória. Na ocasião, o Irmão Joferlino assumiu o cargo de Venerável Interino, tendo para isso, reunciado ao cargo de Conselheiro Federal, que passou, por Ato do Grão-Mestre Geral, a ser ocupado pelo Irmão Ivaldo.
No dia 24 de novembro, o Irmão Joferlino foi eleito Venerável¬ Mestre da Loja João Rosário Dória, então já regularizada e em condições de exercer todos os direitos de uma Loja do Grande oriente do Brasil.
FUNDADORES
São os seguintes os Fundadores da Loja Maçônica João Rosário Dória (ordem de assinaturas):
- Jair Assis Ribeiro; 
- Moacyr Salles;
- Julio César Ribeiro;
- Manoel Agostinho;
- José Prudêncio Pinto de Sá;
- José Reinaldo de Melo;
- Juvêncio Cirilo Neto;
- Gerson Fraissat Mamede;
- José Robson Gouveia Freire;
- José Adirson de Vasconcelos;
- Hercílio dos Santos;
- Marco Antônio Wolovikis Braga;
- Elias Vieira Almado;
- Lamartine Ribeiro Guimarães;
- Luiz Antônio Lang Menna Barreto;
- Ylton Silveira Nascimento;
- José Valder Falcão;
- Eduardo de Oliveira;
- Roberto de Oliveira Cruz;
- Walter Stecher de Oliveira;
- Creso Araújo de Souza;
- Carlos da Costa Lima;
- Júlio Vieira da Palma;
- Francisco das Chagas Freire;
- Guilherme Fagundes de Oliveira;
- Sebastião Femandez Gurgel;
- Joferlino Miranda Pontes;
- Clovis Gomes Albuquerque;
- Joaquim Macedo Sobrinho;
- Jorge Luiz Vescia Lunkes;
- Carlos Veríssimo dos Santos;
- João Bueno Aires Trindade;
- Ivaldo de Melo Medeiros;
- Paulo Maurício Guimarães de Andrade;
- José Correa da Costa;
- Orlandino Alves de Araújo;
- Jethro Bello Torres;
- Jafé Torres;
- José Américo de Oliveira Mendes.

ADMINISTRAÇÕES
De 1989 a 2009, a Loja João Rosário Dória teve as seguintes administrações:
1989 a 1991  - Venerável Mestre – Joferlino Miranda Pontes
1993 a 1995  - Venerável Mestre – Carlos da Costa Lima / Joaquim Macedo Sobrinho
1995 a 1997  - Venerável Mestre – Ivaldo de Melo Medeiros
1997 a 1999  - Venerável Mestre – Ivaldo de Melo Medeiros
1999 a 2001 - Venerável Mestre – Jaime Quirino da Costa  / José Alves dos Santos
2001 a 2003 - Venerável Mestre – Joaquim Macedo Sobrinho
2003 a 2005 - Venerável Mestre – Deverson Lettieri
2005 a 2007 - Venerável Mestre – Deverson Lettieri
2007 a 2009 - Venerável Mestre – José Alves dos Santos
2009 a 2011 - Venerável Mestre – Luis Baltazar Goulart Garay
2011 a 2013 - Venerável Mestre – Brademir Wolff da Silva
2013 a 2015 - Venerável Mestre – Márcio Cesar Dantas Pereira
2015 a 2017 - Venerável Mestre – Itiberê Saldanha Silva
Nossos mais efusivos parabéns à nossa Augusta Loja, na pessoa de seu Venerável, o ínclito e intemerato Maçom ITIBERÊ SALDANHA SILVA, que, além de dedicado Irmão, destaca-se por seus trabalhos e frequências seja em Lojas da jurisdição e nos nossos Altos Corpos do Rito Brasileiro, visando o mais estreito intercâmbio fraterno, e por semear os postulados de dedicação, união e amor, componentes de uma verdadeira fraternidade justa e perfeita. 
O Soberano Ir.’. NEI INOCENCIO DOS SANTOS, Grande Primaz do Supremo Conclave do Brasil, ora representado pelo Sapientíssimo Irmão Robson Gouveia, 33.’., Delegado Litúrgico do Rito Brasileiro no Distrito Federal neste  ato, eleva as mais sublimes preces ao S.’.A.’.D.’.U.’. rogando-Lhe proteção a todos os Obreiros integrantes do Honroso Quadro da Augusta Loja João Rosário Dória nº 2533, nesta data especial em que essa Operosa Oficina chega a marca de sua fecunda existência de 27 anos.
Salve o GOB
Salve o Supremo Conclave do Brasil para o Rito Brasileiro
Salve o GODF
Salve da Loja Maçônica João Rosário Dória nº 2533
Salve o Venerável Mestre Itiberê Saldanha Silva, na pessoa de quem saudamos todos os demais Obreiros e respectivos familiares!

Clima de Brasília-DF., 14 de julho de 2016, E.’.V.’.

Com as fraternais saudações do Sapientíssimo Irmão
  
JOSÉ ROBSON GOUVEIA FREIRE 33
Eminente Delegado Litúrgico do Rito Brasileiro/DF
(9º FUNDADOR NA ORDEM DE ASSINATURAS)