Skip Navigation Links





















BENFEITORA DA ORDEM
por meio do Ato n° 14596, de 28 de JULHO de 2011, concedido pelo Soberano Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil.
Motivo de júbilo tamanha deferência à Loja e a todos os Ir.’. que fortalecem as colunas do Rito Brasileiro por todo o nosso grande País.

.













Visitas ao site: 



Bem-vindo à A.'.R.'.B.'.L.'.S.'. Guatimozim nº 2107

Sessões: 2ª e 4ª Quartas-feiras,
às 20h

A loja Maçônica Guatimozim foi fundada de fato e de direito no dia 7 de junho de 1981. É Federada ao Grande Oriente do Brasil e Jurisdicionada ao Grande Oriente do Distrito Federal. A Loja é primaz do Rito Brasileiro no Distrito Federal e foi agraciada com o título de BENFEITORA DA ORDEM.


 


Sessão Magna Comemorativa aos 35 anos da Loja Guatimozim nº 2107
14/06/2016 - 11h17





Aug.'. Resp.'. e Benfeitora Loj.'. Simb.'. Guatimozim nº 2107
Federada ao Grande Oriente do Brasil
Jurisdicionada ao Grande Oriente do Distrito Federal
Fundada em 07/06/1981
Primaz do Rito Brasileiro no Distrito Federal

 
Nesta última quarta-feira (08 de junho de 2016), Aug\Resp\e Benfeitora Loj\Simb\ Guatimozim nº 2107 realizou Sessão Magna Comemorativa ao seu 35º aniversário, tendo o Eminente Irmão IRATAN DA SILVA RODRIGUES, proferido palestra alusiva à data, conforme enunciado a seguir.
A história da fundação do Rito Brasileiro no Distrito Federal teve início há quase 25 anos, quando os valorosos IIr\Marco Antônio Wolovikis Braga, Iratan da Silva Rodrigues, Antônio Augusto Pessoa de Almeida, Paulo César Pedroso Campos, Natalício Alves Barreto, Pedro João Seguins, João Batista Cavalcanti de Melo, Hamilton de Holanda Vasconcelos e Ivaldo de Melo Medeiros tiveram a iniciativa de fundar uma Loja do Rito Brasileiro neste Oriente.
 
O que se segue é, em parte, a história oficial do surgimento da Loja e em parte, a história não escrita, mas indelevelmente gravada na memória de todos os fundadores, que ainda continuam em atividade no Rito.
 
Esta Loja foi fundada de fato e de direito no dia 07 de junho de 1981, domingo de Pentecostes. Embora a Ata constante dos arquivos do G\O\B\, registre o local de fundação como dependência do Grande Oriente do Brasil, na verdade a fundação ocorreu na residência do Ir\Edmar Adair Storti, à SQS 210, Bloco E, Apt. 306, onde os Irmãos acima foram recebidos com toda a distinção pela cunhada Aída Nelini Storti, já que o Ir\Edmar tivera de ausentar-se por motivo urgente. Compareceu também um outro Ir\, estrangeiro, cujo nome não foi possível recordar.
 
Desses, porém, nem todos estavam regulares, de forma que deixaram de figurar como fundadores, os IIr\Cavalcanti, Hamilton e o estrangeiro. Por adesão e a pedido do Ir\Iratan, também assinou a ata de fundação e contribuiu financeiramente, o Ir\Guilherme Fagundes de Oliveira, que depois, como Grande Secretário-Geral da Guarda dos Selos, veio a assinar o Ato de Regularização da Loja.
 
O Ir\Marco Antônio, então detentor do Gr\33, iniciado no Rito Brasileiro em 1968, na Loja Nilo Peçanha, no Rio de Janeiro, e que tinha vindo diretamente daquele Or\para, em Brasília, implantar o Rito no Distrito Federal, foi escolhido Venerável Interino, ficando o Ir\Iratan, Gr\26, iniciado em 1975, na Loja Fraternidade e Civismo, também do Rio de Janeiro, e egresso da Loja Alvorada de Aragarças, Or\de Aragarças, Goiás, foi escolhido 1º Grande Vigilante. O Ir\Seguins, Gr\31, antigo na Maçonaria e já de idade avançada, beirando os 80 anos de idade, foi eleito Tesoureiro. Refiro-me a esses três IIr\por serem os únicos nascidos no Rito Brasileiro entre os fundadores. Seguins foi iniciado em data não localizada, na Loja Beckman, Or\de São Luis, Maranhão, onde residia à época.
 
Os demais cargos da diretoria provisória foram ocupados pelos IIr\Natalício (2° Vigilante), Pessoa (Orador), Ivaldo (Secretário) e Pedroso (Chanceler).
 
Decidiu-se, na ocasião, que a primeira Diretoria efetiva da Loja seria composta pelos mesmos IIr\da Diretoria provisória, ocupando os mesmos cargos. De forma que o Ir\Marco Antônio, que exercia as funções de Grande Secretário do Conselho Federal, teve de renunciar para continuar na presidência da Loja.
 
Estabeleceu-se em dois mil cruzeiros a taxa de fundação da Loja, e marcou-se reunião para o dia 21 de julho seguinte.
 
O que havia acontecido, porém, antes desta primeira reunião, do dia 7 de junho? Pelo que se pôde apurar, os verdadeiros idealizadores da criação da Loja foram os IIr\Marco Antônio e Iratan, os dois nascidos no Rito Brasileiro e desejosos de continuar praticando-o aqui em Brasília. Mas faltava o principal: uma Loja do Rito Brasileiro. Num encontro casual dos dois na residência do Ir\Edmar, concordaram os três em fundar a tão desejada Oficina, e marcaram novo encontro para tratar do assunto, ficando cada um encarregado de trazer outros IIr\ interessados. Esse novo encontro foi no dia de Pentecostes.
 
O Ir\ Iratan levou dois IIr\de sua Loja, a Pitágoras II, que foram os IIr\Pessoa e Pedroso, e o Ir\Marco Antônio levou o Ir\Ivaldo, pertencente à Águia do Planalto. Nessa época o Ir\Ivaldo trabalhava no Grande Oriente do Brasil, como assessor do Grão-Mestre Geral, Soberano Irmão Osíris Teixeira, daí os seus contatos com o Ir\Marco Antônio. Certo dia, em seu gabinete de trabalho, o Ir\Ivaldo recebeu o convite para formar a Loja. Perguntou quem mais era do Rito Brasileiro em Brasília, e o Ir\Marco Antônio disse que conhecia um – era o Ir\Iratan. Numa reunião da Águia do Planalto, o Ir\Ivaldo conheceu um visitante vestido com um avental do Rito Brasileiro, era o Ir\Seguins. Logo se relacionaram e foi também convidado para a reunião do dia 7 de junho. Foi chamado ainda o Ir\Natalício, M\I\ e Gr\30, da Águia do Planalto, que, por sua vez, levou o Ir\Hamilton. O Ir\Ivaldo levou ainda o Ir\Cavalcanti, colega de trabalho na EBN, irregular, e um dos que depois foram regularizados na Loja. Ainda não ficou devidamente esclarecido porque o Ir\Edmar não foi fundador da Loja, apesar de ser um dos mais entusiasmados, cedendo sua residência para a primeira reunião, entusiasmo que ele passava também para a cunhada.
 
Dessa forma, a Loja ficou constituída por dois IIr\da Estrela de Brasília – Marco Antônio e Fagundes, dois da Águia do Planalto – Natalício e Ivaldo; três da Pitágoras – Iratan, Pessoa e Pedroso, e um da Beckman – Seguins.
 
Algumas referências tiradas da Ata de fundação revelam os compromissos assumidos pela Loja, explícita ou implicitamente:
 
1°) Dia de Pentecostes: reclama da Loja fidelidade aos princípios iniciáticos, já que o Pentecostes do Evangelho lembra a grande iniciação outorgada aos discípulos de Jesus, quando lâminas de fogo penetraram em suas cabeças;
 
2°) Serviço desinteressado à Humanidade: único propósito da Loja, que resume todo o espírito de nobreza que dominou o momento da criação da Oficina e que nunca deve ser esquecido, tanto para efeito do trabalho efetivo como do relacionamento dos Obreiros e união do Quadro;
 
3°) Homenagem aos 21 anos de Brasília, que se comemorou naquele ano: liga a Loja definitivamente à vida da cidade, aspiração que a Loja sempre terá obrigação de honrar através de sua atuação social;
 
4°) Honrar a memória do Imperador D. Pedro I, o Ir\Guatimozim: outra missão que a Loja se arrogou e que não pode ser esquecida pelos que vieram depois, nem pelos filhos da Loja.
 
Sim, este era o NOME, esta era a LOJA – LOJA MAÇÔNICA GUATIMOZIM. A propósito do nome da Loja, devemos lembrar que o Ir\Marco Antônio tentara fundar uma loja com esse nome, no Rio. Tendo de mudar-se enquanto estava em andamento o processo de fundação, resolveu prosseguir em Brasília com o seu propósito, tanto assim, que o primeiro livro de presença desta Oficina, é o mesmo utilizado naquela outra, no Rio.
 
O objetivo maior, entretanto, da Loja, foi a implantação do Rito Brasileiro em Brasília, o qual foi plenamente alcançado. Eis o motivo pelo qual a Loja Guatimozim ostenta o título de Primaz do Rito Brasileiro no Distrito Federal.
 
Tão logo se fundou a Loja, foi preparada toda a documentação exigida e, em questão de dias, foi emitida autorização para funcionar em caráter provisório, expedida pelo Ir\Vicente de Paula Figueiredo, Grande Secretário-Geral de Administração, já que, àquela época, o Grande Oriente do Distrito Federal era uma potência dissidente e as Lojas fiéis ao Grande Oriente, eram jurisdicionadas diretamente ao G\O\B\.
 
As reuniões passaram a ser feitas no Templo da Estrela de Brasília, cedido gratuitamente pelo Venerável Mestre Amaro Miguel Leite. As reuniões eram ajudadas pela Loja Hipólito da Costa, com materiais e obreiros, sob a liderança do Venerável Mestre Ivan Lima Verde, que cedeu uma das gavetas de sua secretaria para que a Loja pudesse guardar seu material. Houve muitas reuniões conjuntas, ora no Templo da Estrela de Brasília, ora no Templo da Loja Hipólito da Costa. Outras reuniões, entretanto, foram realizadas em residências de IIr\, resolvendo-se muita coisa da maior importância nessas sessões administrativas, dentre elas as dos IIr\Iratan, Lima Verde, Cavalcanti, Hamilton e Pessoa.
 
O pedido de regularização é datado de 7 de setembro e, já no dia 11, era expedido o Ato nº 109, deferindo o pedido, com as assinaturas do Grão-Mestre Geral Osíris Teixeira, do Grande Secretário-Geral de Administração Vicente de Paula Figueiredo de Souza e do Grande Secretário-Geral da Guarda dos Selos Guilherme Fagundes de Oliveira.
 
A solenidade de Regularização ocorreu no dia 07 de outubro de 1981, tendo o Ir\Lima Verde presidido a cerimônia.
 
No dia 27 de novembro de 1981, foi realizada a cerimônia de sagração do Estandarte, presidida ainda pelo Ir\Lima Verde. O Estandarte foi confeccionado pelo Ir\Vicente Gomes Machado, e patrocinado financeiramente pelo Ir\Hamilton. O Ir\Vicente confeccionou ainda o esquadro e o compasso que, por reverência à memória do Ir\já falecido, está reservado como uma das relíquias da Loja.
 
ADMINISTRAÇÕES
 
VENERÁVEL BIÊNIO
Marco Antônio Wolovikis Braga 1981 / 1982
Iratan da Silva Rodrigues 1982 / 1983
Iratan da Silva Rodrigues 1983 / 1985
Antônio Carlos Simões 1985 / 1987
Vicente Alves dos Santos 1987 / 1989
José Américo de Oliveira 1989 / 1991
Osvaldo Nunes dos Santos 1991 / 1993
José Fernando Silva dos Santos 1993 / 1995
José Leão Ferreira 1995 / 1997
Iratan da Silva Rodrigues 1997 / 1999
Vicente Alves dos Santos 1999 / 2001
Marco César de Oliveira 2001 / 2003
Juracy de Jesus Gama 2003 / 2005
Juracy de Jesus Gama 2005 / 2007
Anuar Dantas Elias Júnior 2007 / 2009
Francisco José Dantas Pereira 2009 / 2011
Marlon Marcos Dantas Araújo 2011 / 2013
Pedro Nelson Carneiro 2013 / 2015
Pedro Nelson Carneiro 2015 / 2017